Semana Mundial da Água enfatiza soluções em meio à crise do clima

Semana Mundial da Água enfatiza soluções em meio à crise do clima


Dezenas de eventos para assinalar a Semana Mundial da Água mobilizam políticos, especialistas, a sociedade civil e agências da ONU em todo o mundo para refletirem sobre as alterações climáticas, a perda de biodiversidade e a pobreza.

A cidade de Estocolmo, na Suécia, acolhe a maior parte das reuniões que decorrem até quinta-feira e são apoiadas pelo Programa das Nações Unidas para o Ambiente, PNUMA. O evento culmina com uma publicação sobre os desafios relacionados ao recurso.

2 mil milhões de pessoas sem acesso a água potável

Com a escassez de água agravada pelas alterações climáticas, aumentam os riscos relacionados com catástrofes, como inundações e secas. O aumento das temperaturas interrompe os padrões de precipitação e todo o ciclo da água, destaca a ONU.

Estima-se que 2 mil milhões de pessoas em todo o mundo não tenham atualmente acesso a água potável. Cerca de metade da população mundial enfrenta graves carências durante pelo menos parte do ano.

Segundo as Nações Unidas, estes números podem aumentar devido às alterações climáticas e ao crescimento populacional. O planeta possui 0,5% do total de água potável utilizável e disponível, em meio a mudanças climáticas que afetam a disponibilidade.

Recuperação de nutrientes de águas residuais

Na quarta-feira, os temas em debate incluem Mais Soluções para a Gestão Sustentável de Águas Residuais e Nutrientes. No domingo, o ciclo começou com a palestra Vozes do campo: histórias da nascente ao mar de todo o mundo.

Ainda na cidade sueca será lançado o estudo Waste Water Transforming a Problem into a Solution. Será também realizado um debate intitulado Água: a fonte da sustentabilidade social futura.

A semana terminará com o evento para impulsionar ações locais de gestão da água com base em sistemas globais de alerta precoce, monitoramento de águas residuais e vigilância em favor da saúde pública e da gestão ambiental.

Grandes cadeias de montanhas

A ONU destaca a ligação essencial entre a água e as alterações climáticas. Esta complexidade envolve “padrões imprevisíveis de precipitação, diminuição das camadas de gelo, subida do nível do mar, inundações e secas”.

O mundo tem 0,5% do total de água potável utilizável e disponível

Nos últimos 20 anos, houve uma queda de 1% na água armazenada na superfície da Terra por ano, inclusive através da umidade do solo, neve e gelo. A situação teve grande impacto em diversos aspectos e ações para a segurança hídrica.

O Painel Intergovernamental sobre Alterações Climáticas, Ipcc, alerta para um declínio no abastecimento de água armazenada nos glaciares e na cobertura de neve ao longo do século.

Água doce para humanos e ecossistemas

A situação reduzirá a disponibilidade de água em períodos quentes e secos em regiões abastecidas pela água do degelo proveniente de grandes cadeias montanhosas, onde vive actualmente mais de um sexto da população mundial.

A subida do nível do mar agrava a salinização das águas subterrâneas, diminuindo a disponibilidade de água doce para os seres humanos e para os ecossistemas nas zonas costeiras.

O IPCC destaca que limitar o aquecimento global a 1,5°C reduziria a proporção da população mundial que sofreria com a escassez de água em cerca de metade, em comparação com um nível de 2°C.



globo.com rio de janeiro

o globo noticia

globo com rio de janeiro

globo.com g1

jornal globo

jornais globo