Mais de 3 milhões de pessoas sonham em voltar para casa na Ucrânia

Mais de 3 milhões de pessoas sonham em voltar para casa na Ucrânia


O número de pessoas deslocadas internamente na Ucrânia ultrapassa os 5 milhões. Para essas pessoas, a necessidade de ajuda financeira cresce a cada dia que passa.

A análise faz parte do último relatório da Organização Internacional para as Migrações, OIM, sobre a situação no país devastado pela guerra.

Uma mulher deslocada de Kramatorsk, na região de Donetsk, no leste da Ucrânia, seleciona roupas quentes para a sua família no seu alojamento temporário em Mukachevo, no oeste da Ucrânia.

Eu desejo voltar para casa

Destes 5 milhões de pessoas deslocadas, cerca de 3,3 milhões pretendem regressar a casa em algum momento.

As principais motivações para o retorno são o desejo de retomar a vida normal, saudades de casa e outros motivos sentimentais, seguidos da intenção de reencontrar a família, possuir um imóvel no local de origem, motivos econômicos e baixa percepção de segurança no local. atual.

O órgão aponta ainda que 4,7 milhões de pessoas já retornaram após o deslocamento. Desse total, mais de 1 milhão retornaram do exterior. Entre estes, 39% relataram que estavam na Polónia, 9% na Alemanha, 7% em Itália, 6% na República Checa e 5% na Bulgária.

Poupança esgotada

A OIM informa que cerca de 80% da população deslocada durante o conflito considera que a assistência financeira é uma necessidade fundamental.

Segundo o chefe da missão da OIM na Ucrânia, Anh Nguyen, muitas pessoas estão deslocadas há um ano ou mais. Como resultado, “as economias foram esgotadas e as vulnerabilidades agravaram-se”.

Para ele, a falta de recursos é um factor que “mina a resiliência dos ucranianos afectados pela guerra”. Nguyen afirma que em todo o país, “menos de metade dos deslocados estão atualmente empregados”.

As dificuldades financeiras influenciam as decisões que as famílias deslocadas tomam sobre o seu futuro, seja para se mudarem, regressarem a casa ou se integrarem no novo ambiente.

Refugiados ucranianos na Alemanha

Refugiados ucranianos na Alemanha

Tensão crescente

Por outro lado, a falta de oportunidades de emprego num local suburbano, por exemplo, significa que é menos provável que uma família se integre nessa comunidade.

De acordo com a OIM, 65% das pessoas deslocadas internamente vivem em famílias com um nível de rendimento mensal por membro do agregado familiar igual ou inferior a 126 dólares americanos.

Os dados fornecem provas da crescente tensão nas comunidades em toda a Ucrânia, especialmente no que diz respeito aos diferentes níveis de elegibilidade para assistência social e humanitária.

Estes dados sobre deslocamentos foram recolhidos pela OIM através de uma avaliação da população em geral da Ucrânia no final de maio de 2023. O objetivo é direcionar melhor a assistência às pessoas afetadas pela guerra.



globo.com rio de janeiro

o globo noticia

globo com rio de janeiro

globo.com g1

jornal globo

jornais globo