Não puna, acolha: campanha conscientiza sobre o xixi na cama – Jornal Estado de Minas

Não puna, acolha: campanha conscientiza sobre o xixi na cama – Jornal Estado de Minas



A enurese noturna, mais conhecida como enurese noturna, afeta 10% das crianças e adolescentes entre cinco e 17 anos. Os tratamentos para a doença incluem uso de medicamentos, neuroestimulação sacral e alarmes noturnos. Este ano, a Semana Mundial da Enurese é celebrada de 3 a 9 de junho, com o objetivo de reforçar e esclarecer aos pais e cuidadores que a perda da enurese noturna não é culpa da criança, mas sim, de uma condição urológica que necessita de tratamento.

Uma das principais causas da enurese noturna é a hereditariedade. O urologista e secretário-geral da Sociedade Internacional de Continência Infantil (ICCS), um dos organizadores da campanha, Ubirajara Barroso Jr., relata que se ambos os pais tiveram esse problema quando crianças, a chance de o filho também ter é de 77%. . Porém, outros fatores, como metabolismo e dieta alimentar, também podem influenciar na ocorrência da doença.

“É importante que os pais tenham consciência de que a enurese noturna nas crianças é causada por um problema urológico e não por preguiça ou rebeldia. Em vez de punição, é fundamental que a criança receba apoio e que cada noite seca seja comemorada como uma vitória”, afirma o urologista.

Estudo realizado em Minas Gerais mostra que cerca de 60% das crianças que perdem urina na cama são castigadas e 40% apanham. Para Ubirajara, a punição é prejudicial, pois é comum que crianças que sofrem com episódios de xixi na cama sintam vergonha por causa do hábito.

“Em vez de punição, os pais devem procurar ajuda médica para a criança, a fim de iniciar o tratamento adequado e garantir melhor qualidade de vida para toda a família”, explica Ubirajara, que coordena a disciplina de urologia da Universidade Federal da Bahia.

De sete

O tratamento da enurese na cama é recomendado para crianças com mais de cinco anos de idade, se o problema estiver interferindo na vida familiar. A partir dos sete anos o tratamento médico é obrigatório, pois estudos mostram que a partir dessa idade começa a haver redução da autoestima e de outros problemas emocionais associados à enurese, além da chance da criança recuperar o controle do esfíncter sozinha fica menor. .

Leia também: Qual é a principal causa da enurese noturna infantil e como tratá-la

A mudança de hábitos sempre será uma grande aliada no tratamento da enurese noturna, como:

  • Restringir a ingestão de líquidos pelo menos duas horas antes de dormir
  • Evite alimentos que irritam a bexiga, como chocolate e cafeína
  • Tenha uma dieta noturna com baixo teor de sal
  • Levar a criança para urinar antes de dormir

“Mas não acorde seu filho no meio da noite para urinar. Portanto, você não o está ajudando, pois ele deve perceber sozinho que sua bexiga está cheia e precisa urinar. Ao acordá-lo você evita essa percepção”, explica o urologista.



globo.com rio de janeiro

o globo noticia

globo com rio de janeiro

globo.com g1

jornal globo

jornais globo