Morre a segunda paciente a receber rim de porco geneticamente modificado – Jornal Estado de Minas

Morre a segunda paciente a receber rim de porco geneticamente modificado – Jornal Estado de Minas



Lisa Pisano, a segunda pessoa a receber um transplante de rim de um porco geneticamente modificado, morreu no último domingo (7), segundo comunicado da NYU Langone Health divulgado nesta terça-feira (10). O paciente de 54 anos conviveu com o órgão por 47 dias.

Em abril deste ano, Lisa recebeu o órgão devido a insuficiência renal e cardíaca; – apenas oito dias após a implantação de uma bomba cardíaca mecânica. No entanto, os cirurgiões foram forçados a remover o rim em 29 de maio, após ele ter sido danificado por um fluxo sanguíneo inadequado relacionado à bomba cardíaca. Após o explante, o paciente retomou a diálise renal, mas acabou sendo transferido para cuidados paliativos.

Robert Montgomery, diretor do Langone Transplant Institute da NYU, disse em um comunicado que Lisa contribuiu enormemente para o campo emergente do xenotransplante (transplante de órgãos de uma espécie para outra).

“As contribuições de Lisa para a medicina, cirurgia e xenotransplante não podem ser exageradas”, disse Robert. “A sua bravura deu esperança a milhares de pessoas que vivem com insuficiência renal ou cardíaca em fase terminal e que em breve poderão beneficiar de um fornecimento alternativo de órgãos.”

Leia também: Alagoano viveu 34 anos após receber transplante de coração; olhar

O primeiro paciente a receber um rim de um porco geneticamente modificado foi Richard Slayman, 62 anos, que fez o procedimento em março no Mass General Brigham, em Boston. Embora estivesse bem o suficiente para receber alta duas semanas após a cirurgia, ele, assim como Lisa, sofria de problemas médicos complexos e morreu dois meses depois.

Embora o campo do xenotransplante tenha feito grandes avanços nos últimos anos, os procedimentos ainda são experimentais. Apenas os pacientes que estão tão doentes que não são elegíveis para receber um órgão humano e correm o risco de morrer sem tratamento foram autorizados a receber órgãos de animais.

Na época, Lisa disse que estava ciente de sua condição. “Depois que fui descartado para um transplante humano, descobri que não teria muito tempo de vida. Meus médicos pensaram que poderia haver uma chance de eu ser aprovado para receber um rim de porco geneticamente modificado, então conversei com minha família e meu marido. Ele esteve ao meu lado durante toda essa provação e quer que eu melhore.”

Os dois transplantes de rim de porco geneticamente modificado deste ano foram aprovados no âmbito do programa de uso compassivo, ou acesso expandido, da Food and Drug Administration para pacientes com condições de risco de vida.



empréstimo sobre a rmc o que é isso

empréstimos de banco

banco para pegar empréstimo

simulação emprestimo aposentado inss

empréstimo brasilia

empréstimo consignado para bpc loas

taxa de empréstimo consignado

simular empréstimo cnpj