Guterres lamenta a escalada de Rafah | Notícias da ONU



“Estes desenvolvimentos impedem ainda mais o acesso humanitário e agravam uma situação já terrível. Ao mesmo tempo, o Hamas continua a disparar foguetes indiscriminadamente”, disse o comunicado. declaração disse

Enfatizando que os civis devem ser sempre respeitados e protegidos, Guterres observou que “para o povo de Gaza, nenhum lugar é seguro agora”.

O Secretário-Geral reiterou o seu apelo urgente e de longa data a um cessar-fogo humanitário imediato e à libertação de todos os reféns.

Ele também apelou à reabertura imediata da passagem de Rafah e ao acesso humanitário irrestrito em toda Gaza.

Preocupação com famílias deslocadas

Grandes partes de Rafah tornaram-se uma “cidade fantasma”, alertam os Refugiados Palestinos da ONU UNRWA relatado na terça-feira. Cerca de 450 mil pessoas fugiram da área durante a semana passada e procuram abrigo onde podem, inclusive em escombros e dunas de areia.

Em Nova Iorque, o vice-porta-voz da ONU, Farhan Haq disse as famílias deslocadas chegam a locais sem abrigo, latrinas e pontos de água.

“No entanto, é impossível melhorar a situação das pessoas deslocadas se os suprimentos não puderem entrar em Gaza e se não tivermos combustível para transportá-los dentro de Gaza para as famílias que deles precisam”, disse ele aos jornalistas presentes na coletiva de imprensa diária na sede da ONU. .

Evitando uma tragédia maior: UNICEF

alto funcionário do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) disse que a escalada em Rafah e em toda Gaza aprofundou o sofrimento de centenas de milhares de rapazes e raparigas.

Adele Khodr, diretora regional da UNICEF para o Médio Oriente e Norte de África, afirmou: “Não podemos aceitar que a sua situação esteja a ser considerada um dano colateral num conflito que nunca escolheram. declaração.

Ela reiterou o apelo do Secretário-Geral para abrir rapidamente as passagens de fronteira e proporcionar acesso humanitário seguro para que a ajuda possa ser entregue às crianças em Gaza.

“Se não o fizermos, conduziremos a uma tragédia ainda maior do que aquela que já testemunhamos, um resultado que devemos trabalhar urgentemente para evitar”, alertou.

Caminhões de socorro atacados

Entretanto, os esforços para prestar ajuda vital continuam, apesar da insegurança e de outros obstáculos.

Agência das Nações Unidas para Assuntos Humanitários, OCHA, disse parceiros relataram que o trabalho continua para restaurar os serviços de saúde no Complexo Médico Nasser em Khan Younis, que deverá reabrir formalmente nos próximos dias.

O hospital começou a oferecer tratamento de diálise na semana passada a pacientes que não podem mais ser tratados no Hospital An Najjar, em Rafah, que parou de prestar serviços.

O OCHA também informou que na segunda-feira, colonos israelitas na Cisjordânia atacaram camiões de ajuda humanitária que se dirigiam para Gaza.

“Os colonos descarregaram e vandalizaram os veículos no posto de controlo de Tarqumiya e perto da barreira Beit ‘Awwa”, disse a agência, notando que vários camiões foram danificados.



globo.com rio de janeiro

o globo noticia

globo com rio de janeiro

globo.com g1

jornal globo

jornais globo