Cerca de 300 mil pessoas deixaram Rafah, no sul da Faixa de Gaza, na última semana


A agência da ONU para os refugiados palestinos, Unrwa, alertou que, na última semana, cerca de 300 mil pessoas deixaram Rafah. O exército israelense ordenou novas evacuações da cidade do sul da Faixa de Gaza nos últimos dias.

Além de a Unrwa afirmar que “não há abrigos seguros” no enclave, este domingo o secretário-geral da ONU, António Guterres, e o chefe dos direitos humanos, Volker Turk, afirmaram que uma ofensiva israelita em grande escala na área teria consequências catastróficas. consequências e devem ser evitados a todo custo.

A deslocação forçada e as operações militares em Rafah estão a agravar uma situação já catastrófica.

Consequências catastróficas

Numa conversa telefónica no sábado, o chefe da ONU e o primeiro-ministro e ministro dos Negócios Estrangeiros do Qatar, Mohammed bin Abdulrahman bin Jassim Al Thani, “concordaram que uma operação militar em grande escala em Rafah teria consequências catastróficas e deveria ser evitada”.

Numa declaração, o secretário-geral agradeceu ao Qatar pelos esforços de mediação para mediar um acordo urgente de cessar-fogo em Gaza e a libertação imediata dos reféns. Guterres também discutiu a situação com o Emir do Kuwait, Meshal Al-Ahmad Al-Jaber, na Cidade do Kuwait, no domingo.

Não há lugar seguro em Gaza

O Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Volker Turk, disse estar “angustiado” com a piora das condições de vida em Gaza em meio aos ataques aéreos intensificados das forças israelenses em Jabaliya e Beit Lahiya, no norte de Gaza. e em partes do centro de Gaza.

Ele também expressou preocupação com relatos de disparos indiscriminados de mísseis vindos de Gaza. Turk observou que as últimas ordens de evacuação do exército israelense afetam quase 1 milhão de pessoas abrigadas em Rafah.

A responsável pelos direitos humanos lembrou que as pessoas estão exaustas e com fome, muitas já foram deslocadas várias vezes e não há opções seguras. Outras cidades, especialmente Khan Younis, que supostamente recebia pessoas deslocadas de Rafah, foram “reduzidas a escombros e permanecem sob ataque”.

Palestinos fogem de Rafah

Palestinos fogem de Rafah

Requisitos obrigatórios do direito humanitário internacional

Ele disse que as últimas ordens de evacuação e um ataque em grande escala a uma área densamente povoada não podem “ser conciliados com os requisitos obrigatórios do direito humanitário internacional e com os dois conjuntos de medidas provisórias obrigatórias ordenadas pelo Tribunal Internacional de Justiça”.

Para Turk, “uma ofensiva em grande escala em Rafah não pode acontecer”. Ele apelou aos Estados influentes para “fazerem tudo o que estiver ao seu alcance para evitar a escalada e proteger as vidas dos civis”.

Ele também apelou a Israel e aos grupos armados palestinos para “concordarem urgentemente com um cessar-fogo e libertarem imediatamente todos os reféns”.



globo.com rio de janeiro

o globo noticia

globo com rio de janeiro

globo.com g1

jornal globo

jornais globo

Link. Είναι το στοιχείο που σας παρέχει ασφάλεια και ζεστασιά. Index.