Congresso mantém veto que proíbe multa por atraso no pagamento do DPVAT

Congresso mantém veto que proíbe multa por atraso no pagamento do DPVAT



O veto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao trecho da lei que autorizava a retomada da cobrança de Danos Pessoais sobre Veículos Automotores Terrestres (DPVAT), hoje denominado Seguro Obrigatório de Proteção às Vítimas de Acidentes de Trânsito (SPVAT), foi mantida pelos parlamentares. A decisão de ratificar a decisão do chefe do Executivo foi tomada na noite desta terça-feira (28/5) durante sessão conjunta do Congresso Nacional.

A lei previa inicialmente a cobrança de multa e a aplicação de penalidade grave aos motoristas que não pagassem o SPVAT no prazo. A medida foi considerada “exagerada” pelos dois lados do Congresso. Ao passar pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), os senadores pediram que o dispositivo fosse retirado do texto, mas o líder do governo, senador Jaques Wagner (PT-BA), informou que manteria o trecho, mas garantiu que o mesmo seria vetado por Lula.

A deliberação do veto não constava da pauta desta terça (28), mas foi incluída após negociação entre os líderes. Por acordo, o Veto 11/2024, que estabelece multa por atraso no pagamento do antigo DPVAT, foi acrescentado ao rol de deliberação e a decisão de Lula foi mantida, evitando assim a cobrança de multa e a aplicação de penalidade.

Porém, mesmo que o condutor do veículo com o SPVAT em atraso não seja multado e não receba pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), o pagamento do seguro é pré-requisito para a obtenção do licenciamento anual. Ou seja, o motorista que não pagar não poderá emitir a documentação e a não emissão está sujeito a multa.

Liberação de fundos

A cobrança do novo DPVAT foi aprovada pelo Congresso Nacional como condição para derrubar o veto de Lula ao pagamento de emendas de comissão, previstas na Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2024.

O governo argumentou que não teria onde conseguir que os R$ 5,6 bilhões previstos no Orçamento fossem destinados às comissões e, por isso, vetou esse trecho. Após negociações, Planalto e Congresso chegaram a um acordo para reduzir o valor das emendas para R$ 3,6 bilhões. Porém, mesmo com o corte de R$ 2 bilhões, o governo ainda teria dificuldades para efetuar o pagamento sem prejudicar as contas públicas.

Deputados e senadores então se uniram para derrubar o veto, em sessão realizada no dia 9 de maio, e, para isso, tiveram que aprovar a retomada dos encargos do seguro, que haviam sido suspensos durante o governo do ex-presidente Jair Bolsonaro. (PL).

No novo projeto DPVAT houve uma tartaruga que adiantou R$ 15,7 bilhões em crédito ao governo. Com isso, o governo passa a ter em mãos um aumento na receita federal e uma antecipação de mais de R$ 15 bilhões em despesas. Desse valor, cerca de 50% poderá ser utilizado para custear alterações.



globo.com rio de janeiro

o globo noticia

globo com rio de janeiro

globo.com g1

jornal globo

jornais globo

Experience the power of this link building network and watch as your website soars to new heights in the digital landscape. What are the vip benefits ?. Itコンサルタント必見!フリー案件を一括紹介【it consult ant bank】.