FMI eleva previsão de crescimento da China com fortes medidas políticas e no primeiro trimestre

FMI eleva previsão de crescimento da China com fortes medidas políticas e no primeiro trimestre


Um trabalhador passa de bicicleta por um conjunto habitacional em construção em Pequim, em 17 de maio de 2024.

Jade Gao | Afp | Imagens Getty

PEQUIM – O Fundo Monetário Internacional elevou na quarta-feira a sua previsão para o crescimento da China este ano para 5%, de 4,6% anteriormente, devido aos números “fortes” do primeiro trimestre e às medidas políticas recentes.

A atualização seguiu-se a uma visita do FMI à China para uma avaliação regular. A organização espera agora que a economia da China cresça 4,5% em 2025, acima da previsão anterior de 4,1%.

Mas até 2029, prevêem que o crescimento da China desacelerará para 3,3% devido ao envelhecimento da população e ao crescimento mais lento da produtividade. Este valor está abaixo da previsão anterior do FMI de um crescimento de 3,5% no médio prazo.

A economia da China cresceu 5,3%, melhor do que o esperado, no primeiro trimestre, apoiada por fortes exportações. Os dados de Abril mostraram que os gastos dos consumidores permaneceram lentos, enquanto a actividade industrial recuperou.

Há cerca de duas semanas, as autoridades chinesas anunciaram medidas abrangentes para apoiar o sector imobiliário em dificuldades, incluindo a remoção do limite mínimo das taxas hipotecárias.

As medidas políticas são “bem-vindas”, mas é necessária uma acção mais abrangente, disse Gita Gopinath, a primeira directora-geral adjunta do FMI, num comunicado.

“A prioridade deveria ser mobilizar recursos do governo central para proteger os compradores de casas inacabadas pré-vendidas e acelerar a conclusão de habitações pré-vendidas inacabadas, abrindo caminho para a resolução de promotores insolventes”, disse ela.

“Permitir uma maior flexibilidade de preços, ao mesmo tempo que monitoriza e mitiga potenciais repercussões macrofinanceiras, pode estimular ainda mais a procura de habitação e ajudar a restaurar o equilíbrio.”

O comunicado do FMI dizia que durante sua visita à China este mês, Gopinath se reuniu com o governador do Banco Popular da China, Pan Gongsheng, o vice-ministro do Ministério das Finanças, Liao Min, o vice-ministro do Ministério do Comércio, Wang Shouwen, o vice-governador do PBOC, Xuan Changneng, a Administração Reguladora Financeira Nacional. Vice-presidente Xiao Yuanqi.

“As políticas macroeconómicas de curto prazo devem ser orientadas para apoiar a procura interna e mitigar os riscos negativos”, disse Gopinath.

“Alcançar um crescimento de alta qualidade exigirá reformas estruturais para combater os ventos contrários e resolver os desequilíbrios subjacentes”, acrescentou.

Numa reunião na segunda-feira, o presidente chinês, Xi Jinping, enfatizou a necessidade de promover “emprego suficiente e de alta qualidade”, segundo a mídia estatal.

“Xi enfatizou especificamente a melhoria das políticas de apoio ao emprego para graduados universitários e outros jovens”, informou a Xinhua.



globo.com rio de janeiro

o globo noticia

globo com rio de janeiro

globo.com g1

jornal globo

jornais globo