Guterres pede que líderes árabes superem divisões e encerrem conflitos


Na Cimeira da Liga dos Estados Árabes, realizada esta quinta-feira em Manama, Bahrein, o Secretário-Geral da ONU enfatizou a importância da unidade no mundo árabe para superar os desafios históricos e promover a paz e a prosperidade.

António Guterres destacou a crise em curso em Gaza, apelando a um cessar-fogo humanitário imediato e à entrada de ajuda humanitária. O líder das Nações Unidas abordou também os conflitos no Sudão, Líbia, Iémen e Síria, apelando a esforços de paz.

Conflitos que assolam a região

Em relação ao Sudão, Guterres disse que “a guerra devastadora lançou metade da população do país numa queda livre humanitária”. Ele disse que após um ano de conflito entre o Exército Sudanês e as Forças de Apoio Rápido, RSF, milhares de pessoas foram mortas e 18 milhões de sudaneses enfrentam a “terrível ameaça de fome”.

O chefe da ONU apelou às partes em conflito para que cheguem a acordo sobre um cessar-fogo permanente, seguido de um processo político que inclua grupos como mulheres e jovens.

O secretário-geral também destacou a necessidade de proteger o “frágil processo político” tanto na Líbia como no Iémen. Além disso, apelou a todos os sírios para que trabalhem com um “espírito reconciliador, celebrem a rica diversidade do povo sírio e respeitem os direitos humanos de todos”.

Guterres lembrou que quando era alto comissário para os refugiados testemunhou a “enorme generosidade do povo sírio” e lamenta ver o país agora com “tanto sofrimento e com partes do seu território ocupadas, com vários atores externos envolvidos”.

Cena após o atentado em Aleppo (outubro de 2023)

Reformas no sistema multilateral

O secretário-geral abordou outras “crises globais esmagadoras”, incluindo a emergência climática, a crescente desigualdade, a pobreza, a fome, os níveis exorbitantes de dívida e as novas tecnologias, incluindo a inteligência artificial, que “escapam aos mecanismos de governação e à regulamentação”.

Disse que são necessárias reformas profundas no sistema multilateral global, desde o Conselho de Segurança até à arquitectura financeira internacional, para que se torne “verdadeiramente global e representativo da realidade vivida nesta época”.

Guterres afirmou ainda que a Cimeira do Futuro, que se realizará em Setembro, durante a Assembleia Geral da ONU, representa uma “oportunidade valiosa” para gerar impulso em direcção a um sistema multilateral “mais interligado e inclusivo”.

O perigo das divisões

Para Guterres, a unidade é a única “condição básica para o sucesso” no mundo de hoje. Afirmou que as divisões dão lugar à interferência de partes externas, alimentando conflitos, tensões sectárias e assim “desencadeando o terrorismo, ainda que involuntariamente”.

Dirigindo-se aos líderes árabes participantes na Cimeira, o líder da ONU acrescentou que estes são “obstáculos que impedem a realização do desenvolvimento pacífico e a garantia do bem-estar dos povos”.

O secretário-geral disse que a unidade e a solidariedade em todo o mundo árabe fariam com que “a voz desta região de vital importância fosse ouvida com mais força e aumentaria a sua influência no cenário global”.



globo.com rio de janeiro

o globo noticia

globo com rio de janeiro

globo.com g1

jornal globo

jornais globo