Especialistas da ONU mencionam uso de inteligência artificial em ataques israelenses na Faixa de Gaza


Especialistas da ONU deploraram o alegado uso por Israel de inteligência artificial, IA e directivas militares relacionadas na Faixa de Gaza ocupada, levando a um número sem precedentes de vítimas na população civil, habitação, serviços vitais e infra-estruturas.

Para eles, seis meses após o início da actual ofensiva militar, mais habitações e infra-estruturas civis já foram destruídas em Gaza, em percentagem, em comparação com qualquer conflito de que há memória.

Crime contra a humanidade

Os relatores salientam que a destruição de casas também tirou “as memórias, esperanças e aspirações dos palestinos e a sua capacidade de concretizar outros direitos”.

Acrescentam que a destruição sistemática e generalizada de habitações, serviços e infra-estruturas civis representa um crime contra a humanidade, para além de numerosos crimes de guerra e actos de genocídio, conforme descrito pelo Relator Especial da ONU para os Territórios Palestinianos Ocupados no seu recente relatório ao Conselho de Direitos Humanos.

De acordo com os especialistas que assinaram a declaração, com a recente adesão das autoridades públicas israelitas aos apelos aos palestinianos para abandonarem Gaza e à proposta de construção de novos colonatos, juntamente com o entusiasmo explícito expresso por antigos funcionários proeminentes do governo dos EUA em relação a possíveis situações reais de “fronteira-mar”. investimentos imobiliários na área, torna-se claro que as intenções de Israel vão além dos objectivos militares.

Menino carrega latas de água na Faixa de Gaza

Os especialistas argumentam que “se isto for provado ser verdade, as revelações chocantes do uso de sistemas de IA pelos militares israelitas, combinadas com a redução da devida diligência humana para evitar ou minimizar as vítimas civis e as infra-estruturas, contribuem para explicar a extensão do número de mortes e a destruição de casas em Gaza”.

Tecnologia para a guerra

Mais de 15.000 mortes, quase metade de todas as mortes de civis até à data, ocorreram durante as primeiras seis semanas após 7 de Outubro, quando os sistemas de IA parecem ter sido amplamente utilizados para a selecção de alvos.

O grupo diz estar especialmente preocupado com a alegada utilização de IA para atingir “casas de famílias” de alegados membros do Hamas. Esses atos ocorreriam “geralmente à noite, quando eles dormem, com munições não guiadas conhecidas como bombas ‘burras’, com pouca consideração pelos civis que possam estar dentro ou ao redor da casa”.

Expressaram também grande preocupação com a prática de bombardear os chamados “alvos poderosos”, como grandes e altos edifícios residenciais e públicos, especialmente nas primeiras semanas da guerra.

“Edifícios que não eram alvos militares legítimos foram aparentemente bombardeados simplesmente com a intenção de chocar a população e aumentar a pressão civil sobre o Hamas”, disseram os especialistas.

Desfazendo

Segundo os dados apresentados pelos relatores, entre 60% e 70% de todas as casas em Gaza, e até 84% das casas no norte da Faixa, estão completamente destruídas ou parcialmente danificadas.

O Banco Mundial, a ONU e a União Europeia estimam que os danos causados ​​até agora ascendem a 18,5 mil milhões de dólares, ou 97% do PIB total de Gaza e da Cisjordânia. O valor de 72% desta estimativa corresponde ao custo da habitação, enquanto outros 19% correspondem ao custo das infra-estruturas civis, incluindo água e saneamento, energia e estradas.

Segundo os especialistas, a escala da destruição, com mais de 33 mil pessoas mortas e 1,7 milhões de deslocados, deixa claro que uma abordagem reparadora para a reconstrução de Gaza é essencial.

Para eles, o processo deve começar com Israel, a potência ocupante, “que destruiu Gaza”, bem como com os países que forneceram apoio militar, material e político à guerra e à ocupação, todos com responsabilidade legal e moral.

*Os relatores de direitos humanos são independentes das Nações Unidas e não recebem salário pelo seu trabalho.



globo.com rio de janeiro

o globo noticia

globo com rio de janeiro

globo.com g1

jornal globo

jornais globo

Link. Είναι το στοιχείο που σας παρέχει ασφάλεια και ζεστασιά. Index.