O Papa Francisco usou calúnias ofensivas para homens gays; Vaticano pede desculpas

O Papa Francisco usou calúnias ofensivas para homens gays;  Vaticano pede desculpas


O Papa Francisco usou um insulto ofensivo para homens gays numa discussão a portas fechadas com bispos italianos na semana passada, disseram duas fontes que estavam na sala à NBC News.

O uso do termo depreciativo pelo pontífice, relatado pela primeira vez pela mídia italiana, levou o Vaticano a pedir desculpas na terça-feira “aos que ficaram ofendidos”.

O comentário relatado ocorreu em uma assembleia de bispos realizada a portas fechadas em 20 de maio. O grupo estava discutindo a questão da admissão de homens homossexuais nos seminários quando Francisco usou um termo italiano que representa uma forma vulgar de se referir a uma pessoa gay, disseram as fontes. .

Francisco reiterou que os homens gays não deveriam ser autorizados a treinar em seminários como padres, de acordo com a mídia italiana, que disse que o uso da calúnia deixou alguns presentes surpresos, dado o histórico do papa de uma abordagem mais acolhedora em relação à comunidade LGBTQ+.

O Vaticano respondeu aos relatórios na terça-feira, dizendo que o papa estava “ciente dos artigos que surgiram recentemente sobre uma conversa, a portas fechadas, com os bispos”.

“Como teve oportunidade de afirmar em diversas ocasiões: ‘Na Igreja há lugar para todos, para todos! Ninguém é inútil, ninguém é supérfluo, há espaço para todos. Assim como somos, todos’”, disse o porta-voz do Vaticano, Matteo Bruni, em comunicado.

“O papa nunca teve a intenção de ofender ou de se expressar em termos homofóbicos, e estende as suas desculpas àqueles que se sentiram ofendidos pelo uso de um termo, relatado por outros”, acrescentou Bruni.

O site de fofocas políticas Dagospia parece ter sido o primeiro a relatar o suposto incidente, citando vários bispos “chocados” que participaram da conferência episcopal.

Um dos maiores jornais italianos, o Corriere della Sera, citou vários bispos não identificados, sugerindo que o papa pode não ter consciência de quão ofensiva a palavra é em italiano.

Repórter e escritor veterano do Vaticano Gerry O’Connell também sugeriu que a observação do papa foi “uma gafe da parte do papa, e não uma calúnia”, como disse um falante não nativo de italiano.

O suposto comentário foi uma surpresa para muitos, já que Francisco, de 87 anos, é conhecido por ter opiniões mais liberais do que muitos de seus antecessores no que diz respeito à comunidade LGBTQ+, bem como em outras questões, como o papel das mulheres na Igreja Católica. e o meio ambiente.

Em Dezembro passado, ele aprovou formalmente a permissão de padres abençoarem casais do mesmo sexo porque as pessoas que procuram o amor e a misericórdia de Deus não deveriam ser sujeitas a “uma análise moral exaustiva” para o receber.

Em agosto, disse também que a Igreja Católica está aberta a todos, incluindo a comunidade gay, e que tem o dever de acompanhá-los num caminho pessoal de espiritualidade, mas no quadro das suas regras.

Francisco deu o tom no início do seu papado, em 2013, quando fez um comentário improvisado aos repórteres que conquistou muitos críticos que consideravam a Igreja de mente fechada. “Se uma pessoa é gay e busca a Deus e tem boa vontade, quem sou eu para julgá-la?” ele disse.

Uma instrução emitido pelo Vaticano sob o antecessor de Francisco, o Papa Bento XVI, determinou em 2005 que aqueles que “praticam a homossexualidade, apresentam tendências homossexuais profundas ou apoiam a chamada cultura gay” não podem ser admitidos no seminário ou nas ordens sagradas.





globo.com rio de janeiro

o globo noticia

globo com rio de janeiro

globo.com g1

jornal globo

jornais globo

Simple, privacy focused and free ad network for websites in need of new visitors. Free & easy link building. Itコンサルタント必見!フリー案件を一括紹介【it consult ant bank】.