Aumento de crianças migrantes que atravessam o perigoso Darién Gap: UNICEF



Nos primeiros quatro meses de 2024, mais de 30.000 crianças atravessaram a densa região de selva que separa a Colômbia do Panamá, o que marcou um aumento significativo em comparação com o mesmo período do ano passado. Entre eles, aproximadamente 2 mil estavam desacompanhados ou separados de suas famílias.

Além disso, o número de crianças em trânsito cresceu cinco vezes mais rápido que o número de adultos, o dados exibidos.

Não há lugar para crianças

O Darién Gap não é lugar para crianças. Muitas crianças morreram durante esta jornada árdua e perigosa. As mulheres deram à luz ao longo do caminho, trazendo uma nova vida ao mundo nas circunstâncias mais difíceis. Muitos dos que sobrevivem à viagem chegam doentes, famintos e desidratados, muitas vezes com ferimentos ou infecções e necessitando desesperadamente de apoio”, disse Ted Chaiban, UNICEF Vice-Diretor Executivo.

Mas como as crianças constituem um quinto dos migrantes, a presença e a resposta da UNICEF são mais importantes do que nunca, sublinhou.

“O financiamento adequado é fundamental para nos permitir estar ao lado das crianças, independentemente do seu país de origem ou destino.”

Com base nas tendências actuais, estima-se que 800.000 pessoas, incluindo 160.000 crianças e adolescentes, poderão atravessar a selva em 2024. É provável que estes migrantes necessitem de assistência humanitária substancial devido às condições extremas enfrentadas durante a viagem.

Histórias tristes

Depois de retornar de uma visita à comunidade de Bajo Chiquito, no Panamá, o Sr. Chaiban contou histórias de terror que ouviu de crianças que fizeram a viagem.

“Conheci Esmeria, uma menina venezuelana de 11 anos, que [was] separada da mãe durante a passagem pela selva. Em meio às lágrimas, Esméria compartilhou comigo como era difícil para ela ficar sozinha na selva”,

A menina teve que atravessar rios caudalosos, passando por pessoas feridas e famintas no caminho.

“À noite, ela me contou, estava muito escuro e ela ouvia barulhos assustadores. Esméria estava com fome. Ela não come há dois dias. Esméria não estudava há meses e esperava que sua mãe chegasse logo para seguir o caminho deles. Nenhuma criança deveria ter que passar ou testemunhar essas coisas”, acrescentou o funcionário do UNICEF.

Apoiando crianças em movimento

A UNICEF tem apoiado crianças migrantes em Darién e no Panamá desde 2018, quando apenas 522 crianças atravessaram a floresta tropical.

Hoje, com o apoio financeiro dos doadores e com os seus próprios fundos, a agência da ONU presta serviços cruciais em água, saneamento e higiene (WASH), protecção infantil, saúde e violência sexual, em pontos-chave ao longo da rota de migração.

Também apoiam as comunidades de acolhimento por onde passam os migrantes.

Fundos necessários

Em 2024, a UNICEF apelou a 7,64 milhões de dólares para responder às necessidades urgentes do número crescente de crianças e famílias migrantes no Panamá. No entanto, apenas 10% deste financiamento foi recebido até agora.

Elogiando as comunidades anfitriãs, os doadores e o governo panamenho por ajudarem a apoiar as crianças e as suas famílias, o Sr. Chaiban apelou por fundos adicionais.

Os perigos para as crianças e as suas necessidades não satisfeitas estão a aumentar neste momento. Devemos continuar a garantir que nenhuma criança seja deixada para trás. Se a resposta for subfinanciada, os resultados serão limitados”, enfatizou.



globo.com rio de janeiro

o globo noticia

globo com rio de janeiro

globo.com g1

jornal globo

jornais globo