O chefe de justiça John Roberts se recusa a se reunir com os democratas sobre questões éticas em meio ao agitar da bandeira de Alito



WASHINGTON – O presidente do tribunal, John Roberts, recusou-se na quinta-feira a se reunir com senadores democratas para discutir questões éticas da Suprema Corte, após relatos de que bandeiras polêmicas foram hasteadas nas casas do juiz Samuel Alito.

Em uma letra ao líder da maioria no Senado, Dick Durbin, D-Ill., e ao senador Sheldon Whitehouse, DR.I., Roberts disse que “deve recusar respeitosamente seu pedido de reunião”, citando preocupações sobre a manutenção da independência judicial.

A recusa de Roberts em reunir-se com senadores não foi uma surpresa, já que no ano passado ele se recusou a comparecer a uma audiência sobre a questão ética por razões semelhantes.

Ele observou na última carta que a reunião com representantes de uma das partes “que manifestaram interesse em questões pendentes no tribunal” é outra razão pela qual “tal reunião seria desaconselhável”.

Whitehouse disse em um série de postagens em X que era “frustrante” Roberts não conseguiu abordar que a reunião foi procurada no papel do presidente do tribunal como presidente da Conferência Judicial dos EUA, o órgão administrativo e de formulação de políticas do judiciário, e não na sua qualidade de membro do tribunal.

“Tudo isto significa que o trabalho deve continuar até termos um Supremo Tribunal que aplique a si mesmo os princípios básicos do Estado de direito: apuração honesta dos factos e tomada de decisões neutra”, acrescentou Whitehouse.

Na semana passada, os dois senadores pediram a Roberts que abordasse o que chamaram de “crise ética da Suprema Corte” após uma reportagem do New York Times de que bandeiras hasteadas no edifício do Capitólio por alguns apoiadores de Donald Trump em 6 de janeiro de 2021 também foram exibidas em Casas do juiz da Suprema Corte, Samuel Alito.

Em a carta deles os senadores pediram para se reunir com Roberts “o mais rápido possível” e renovaram seu “pedido para que a Suprema Corte adote um código de conduta aplicável para os juízes”.

Isso foi antes de o próprio Alito enviar cartas ao Capitólio esta semana recusando-se a se afastar dos casos envolvendo Trump ou 6 de janeiro.

Alito disse que o elevado padrão de recusa não foi cumprido, observando que as bandeiras foram hasteadas pela sua esposa e que ele não teve envolvimento nas decisões.

Conforme relatado pela primeira vez pelo The New York Times, uma bandeira dos EUA invertida foi vista na casa de Alito, na Virgínia, enquanto uma bandeira associada a cristãos conservadores foi vista na casa de férias da família em Nova Jersey.

Alito disse nas suas cartas aos legisladores que “uma pessoa razoável que não seja motivada por considerações políticas ou ideológicas ou pelo desejo de afectar o resultado dos casos do Supremo Tribunal” concluiria que não era necessária qualquer recusa.

Posteriormente, o tribunal adoptou um novo código de ética em Novembro, que suscitou críticas em grande parte porque os próprios juízes têm a palavra final sobre como aplicá-lo.



globo.com rio de janeiro

o globo noticia

globo com rio de janeiro

globo.com g1

jornal globo

jornais globo

Link. Είναι το στοιχείο που σας παρέχει ασφάλεια και ζεστασιά. Index.