Marina Silva diz que PL que iguala aborto ao homicídio é ‘desumano’

Marina Silva diz que PL que iguala aborto ao homicídio é ‘desumano’



A ministra do Meio Ambiente e Mudanças Climáticas, Marina Silva, afirmou, nesta sexta-feira (14/6), que o Projeto de Lei 1.904/24, que equipara o aborto ao homicídio, é “desrespeitoso e desumano para com a mulher”. Marina, que é evangélica, disse ser pessoalmente contra o aborto, mas criticou a proposta que estabelece que a pena para mulheres que interrompem a gravidez após a 22ª semana, mesmo vítimas de estupro, é quase duas vezes maior que a de estupradores.

Leia também: Lula recebe o Papa Francisco na cúpula do G7

“Pessoalmente, sou contra o aborto, mas acho que é uma atitude altamente desrespeitosa e desumana para com as mulheres pensar que o violador deveria ter uma pena menor do que a mulher que foi violada e que não conseguiu ter acesso a tempo. fazer uso da lei que garante o direito ao aborto legal”, disse o ministro, em entrevista a jornalistas no Palácio do Planalto.

Além dela, os ministros Silvio Almeida, Alexandre Padilha e Cida Gonçalves, dos ministérios dos Direitos Humanos e da Cidadania, das Relações Institucionais e da Mulher, respectivamente, também se manifestaram contra a proposta.

“Não contem com o governo para nenhuma mudança na legislação sobre o aborto no país. Principalmente um projeto que estabeleça pena para meninas e mulheres estupradas que pode ser até 2x maior que a do estuprador”, disse Padilha, também nesta sexta-feira. .

O ministro Silvio Almeida classificou o projeto como “imoralidade” e “inversão de valores civilizatórios”. Para o titular da pasta dos Direitos Humanos e Cidadania, a proposta viola o princípio da dignidade humana e sujeita as mulheres vítimas de abuso a uma “indignidade inaceitável”.

A Ministra da Mulher citou o fato de que, em média, 38 meninas de até 14 anos se tornam mães todos os dias no Brasil. Para ela, a proposta que tramita na Câmara agrava ainda mais o cenário da gravidez precoce, já que seis vítimas de violência sexual são crianças de até 13 anos.

Após mobilização social e críticas ao projeto, o deputado federal Sóstenes Cavalcante (PL-RJ), autor do PL, disse que vai propor aumentar a pena para estupro para 30 anos. Atualmente, a legislação prevê pena de 6 a 10 anos de prisão, aumentada para 12 anos se o crime envolver violência grave.

Leia também: PSB e MDB selam acordo para Gabriel Azevedo e Paulo Brant em BH

Projeto

Na quarta-feira (6/12), a Câmara dos Deputados aprovou a urgência do projeto, o que significa que o texto irá direto para o Plenário. A votação do pedido de urgência ocorreu de forma simbólica e durou apenas 23 segundos.

A insatisfação com a condução do PL levou o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), a anunciar a nomeação de um deputado centrista para informar sobre o PL 1.904/24, para que o texto fique “equilibrado”. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), disse que uma proposta dessa natureza “jamais iria diretamente ao Plenário”.



emprestimo do inss

empréstimo para consignados

simular um empréstimo consignado

simular empréstimo picpay

simular emprestimo picpay

como fazer emprestimo no picpay

emprestimo consignado no inss

blue emprestimo

simulação empréstimo picpay

emprestimo consignado simulação

inss empréstimos

Simple, privacy focused and free ad network for websites in need of new visitors. Control the number of backlinks per website on a daily basis. Itコンサルタント必見!フリー案件を一括紹介【it consult ant bank】.