Sudão: Civis presos em El Fasher enquanto ONU alerta sobre ataque iminente

Sudão: Civis presos em El Fasher enquanto ONU alerta sobre ataque iminente



Em nota aos correspondentes divulgado na sexta-feira, a ONU disse que havia “relatórios cada vez mais alarmantes de uma escalada dramática de tensões”.

“As Forças de Apoio Rápido (RSF) estariam cercando El Fasher, sugerindo uma um movimento concertado para atacar a cidade pode ser iminente. Ao mesmo tempo, as Forças Armadas do Sudão (SAF) parecem estar a posicionar-se”, acrescenta o comunicado.

Um ataque à cidade teria consequências devastadoras para os civis, afirma a declaração do Porta-voz da ONU contínuo.

Esta escalada de tensões ocorre numa área que já está à beira da fome. O Secretário-Geral reitera o seu apelo a todas as partes para que se abstenham de lutar na área de El Fasher.”

No total, cerca de 25 milhões de pessoas, ou metade da população do Sudão, necessitam de assistência humanitária, sendo mais de oito milhões forçadas a fugir das suas casas. Mais de 14.000 pessoas foram mortas e dezenas de milhares feridas.

Cerca de 1,8 milhões fugiram através das fronteiras tentando escapar da batalha brutal.

Dezenas já morreram

Em novo aviso na sexta-feira sobre Darfur, o chefe de direitos da ONU, Volker Türk, citou relatos de que os exércitos rivais lançaram ataques indiscriminados usando “morteiros e foguetes disparados de caças em bairros residenciais”.

Desde que a RSF iniciou a sua investida na capital do estado, El Fasher, pelo menos 43 pessoas terão sido mortas, incluindo mulheres e crianças.

Os civis estão presos na cidade, a única em Darfur ainda nas mãos das Forças Armadas Sudanesas.”, e temem ser mortos se tentarem fugir, disse o Alto Comissário.

Türk observou que a terrível situação piorou devido a uma grave falta de fornecimentos essenciais, uma vez que os camiões de entrega “não conseguem atravessar livremente o território controlado pelas Forças de Apoio Rápido”.

Ele disse que a RSF incendiou aldeias no oeste de El Fasher, incluindo Durma, Umoshosh, Sarafaya e Ozbani, levantando a possibilidade de “mais violência com motivação étnica em Darfur, incluindo assassinatos em massa“.

No ano passado, combates e ataques entre a tribo étnica árabe Rizeigat e a tribo étnica africana Masalit no oeste de Darfur deixaram centenas de civis mortos ou feridos e milhares de deslocados, observou o Alto Comissário, ao apelar ao fim da guerra que já dura mais de um ano. conflito. conflito

“Uma crise inteiramente provocada pelo homem”

A chefe da ONU para Assuntos Políticos e de Consolidação da Paz, Rosemary DiCarlo, disse ao Conselho de Segurança na semana passada, que a situação no Sudão é uma “crise de proporções épicas; é completamente feito pelo homem”.

O diretor de operações do Escritório de Assuntos Humanitários da ONU, OCHAEdem Wosornu, advertiu na mesma reunião que o cerco de El Fasher pelas RSF representa um perigo extremo e imediato para os civis ali e noutras partes de Darfur, onde mais de nove milhões necessitam urgentemente de ajuda.



globo.com rio de janeiro

o globo noticia

globo com rio de janeiro

globo.com g1

jornal globo

jornais globo