Cigana presa por envolvimento na morte de empresário cobra até R$ 3 mil



O cigano preso suspeito de envolvimento na morte do empresário Luiz Marcelo Antônio Ormond é famoso nas redes sociais. Com mais de 300 mil seguidores no Instagram, Suyane Breschak, conhecida como Cigana Esmeralda, cobrava até R$ 3 mil por consultas. As informações são de CBN do Rio de Janeiro.

A maior parte dos depoimentos de clientes no perfil profissional de Suyane falam sobre vínculos que a Cigana fez e como os respectivos sócios dos clientes retornaram a eles poucos dias após a ação.

Suyane Breschak é investigada por ajudar Júlia Andrade Cathermol Pimenta, 29, a matar o namorado, o empresário Luiz Marcelo Antônio Ormond. Seu corpo foi encontrado no dia 20 de maio, em seu apartamento no Rio de Janeiro, já em estado de decomposição.

Júlia é a principal suspeita do crime e está foragida. A polícia suspeita que Luiz Marcelo tenha sido envenenado após comer um brigadeiro.

O cigano é um dos suspeitos envolvidos no caso e está preso no Rio de Janeiro. Os dois se conhecem há 12 anos e Suyane já havia feito “procedimentos” para Júlia com ex-namorados.

Em depoimento à polícia, Suyane disse que Júlia tinha uma dívida acumulada de R$ 600 mil e que pagava o valor há cinco anos.

O cigano foi ligado ao caso após a prisão de um homem que estava de posse do carro de Luiz Marcelo, levado por Júlia do apartamento onde foi encontrado morto. A cena foi registrada por câmeras de segurança.

O veículo teria sido usado para quitar parte da dívida de Júlia com a amiga e vale cerca de R$ 75 mil. A Polícia Civil apontou ainda que Suyane tentou vender joias e outros objetos de Luiz Marcelo.

O caso

A Polícia Civil do Rio de Janeiro investiga a morte do empresário Luiz Marcelo Antonio Ormond, encontrado em avançado estado de decomposição no dia 20 de maio. A investigação começou após vizinhos sentirem cheiros fortes vindos da propriedade do empresário.

Segundo a investigação, Júlia teria convivido com o cadáver durante um fim de semana inteiro. Nos dias anteriores à descoberta do corpo do empresário, ela teria levado bens de Luiz, como computador e carro.

Agentes da 25ª Delegacia realizam investigações para localizar e capturar Júlia. Há um mandado pendente contra ela por homicídio qualificado.

Para o g1, o advogado de Suyane, Cleison Rocha, afirmou que a cliente é inocente e está sendo acusada injustamente. “A Suyane trabalha com cartas e conchas, e a Júlia só consultava a Suyane. Elas não são amigas, só têm uma relação profissional”, disse. Ó Correspondência não conseguiu entrar em contato com a defesa do cigano.



globo.com rio de janeiro

o globo noticia

globo com rio de janeiro

globo.com g1

jornal globo

jornais globo