Equipes de resgate não esperam encontrar sobreviventes em deslizamento de terra em Papua Nova Guiné

Equipes de resgate não esperam encontrar sobreviventes em deslizamento de terra em Papua Nova Guiné



SYDNEY – Papua Nova Guiné descartou a possibilidade de encontrar sobreviventes sob os escombros de um enorme deslizamento de terra na quinta-feira, com o número exato de mortos sob quase dois andares de escombros e lama ainda desconhecido, mas variando de centenas a milhares.

O equipamento pesado e a ajuda demoraram a chegar devido ao terreno montanhoso traiçoeiro, a uma ponte danificada na estrada principal e à agitação tribal na área.

“Não se espera que nenhum corpo esteja vivo sob os escombros neste momento, por isso é uma operação de recuperação completa para recuperar quaisquer restos humanos”, disse o presidente do comitê de desastres da província de Enga, Sandis Tsaka, à Reuters.

As autoridades ainda estão tentando identificar quantas pessoas estão enterradas sob partes de uma montanha que desabou na vila de Yambali, na região de Enga, por volta das 3h da última sexta-feira (13h de quinta-feira, horário do leste dos EUA).

Sem um censo actual – o último censo credível foi realizado em 2000 – as autoridades baseiam-se em registos eleitorais incompletos e em verificações com os líderes locais para chegar a uma estimativa do total de mortes.

Mais de 2.000 pessoas podem ter sido enterradas vivas, segundo o governo de Papua Nova Guiné. Uma estimativa da ONU colocou o número de mortos em cerca de 670, enquanto um empresário local e ex-funcionário disse à Reuters que estava perto de 160.

Tsaka disse que o governo ainda não tem certeza sobre o número de mortos, embora seja um “número significativo”.

“Pode ser de centenas a 2.000. Eu não descartaria totalmente 2.000 por causa da incerteza sobre quantas pessoas estavam (lá) naquele momento, mas não posso dar uma resposta definitiva até completarmos o mapeamento social”, disse ele.

Dos seis corpos recuperados até agora, dois viviam fora da área do desastre, disse Tsaka, reforçando a opinião das autoridades de que havia muita movimentação entre as comunidades.

Dezenas de soldados, engenheiros, especialistas em geologia e autoridades de saúde pública chegaram ao local, disse Tsaka. As equipes de resgate estão planejando usar maquinário pesado a partir de quinta-feira, depois que o terreno instável atrasou seu uso mais cedo.

Milhares de residentes estão em alerta para uma possível evacuação caso o deslizamento de terra desça ainda mais a colina.

“Nós nem dormimos à noite. Temos medo de que mais partes da montanha caiam e matem todos nós”, disse Frida Yeahkal, moradora de 20 anos, à Reuters.

O deslizamento de terra soterrou riachos e riachos próximos e contaminou as principais fontes de água da aldeia, representando um risco significativo de surtos de doenças, afirmou a agência de migração da ONU na sua última atualização.

A maioria das famílias não dispõe de fontes alternativas, como tanques de captação de chuva, e não existem métodos para tratar a água, agravando ainda mais a escassez de água potável, afirmou.

A agência estima que cerca de 1.650 pessoas foram deslocadas, sendo que uma em cada cinco tem menos de 6 anos.

“O que acontecerá com os vivos? Não sei onde iremos em busca de comida e abrigo. Nossas casas e jardins foram todos destruídos”, disse o líder comunitário Yuri Yapara à Reuters.



globo.com rio de janeiro

o globo noticia

globo com rio de janeiro

globo.com g1

jornal globo

jornais globo

Experience the power of this link building network and watch as your website soars to new heights in the digital landscape. Free & easy link building. Itコンサルタント必見!フリー案件を一括紹介【it consult ant bank】.