Pezzolano comenta futuro de Ronaldo na Espanha; Valladolid desautoriza treinador


Pezzolano comenta futuro de Ronaldo na Espanha; Valladolid desautoriza técnico (técnico uruguaio Paulo Pezzolano)

Valladolid publicou nota oficial nesta quinta-feira (30/5) a respeito das polêmicas declarações de Paulo Pezzolano, ex-técnico do Cruzeiro, na rádio Esporte 890 do Uruguai.

Pezzolano Ele reclamou mais uma vez da forma como foi tratado na cidade espanhola e disse que a tendência é que Ronaldo venda de fato o Valladolid.

“Quando, na sua própria torcida, você tem gente que grita ‘Sudaca, vai para o Uruguai’, essas coisas (xenofobia) que é incrível que existam, mas existem sim…”, disse o uruguaio. “Essa cidade é muito particular nesse aspecto (preconceito). Nós, estrangeiros, sofremos um pouco, eu sofri, meu povo sofreu”, disse Pezzolano.

Ó Valladolid condenou, mas disse que os episódios de xenofobia foram isolados. “Na referida entrevista, o treinador fez referência a episódios isolados de xenofobia que tem sofrido na cidade, ataques que o Real Valladolid condena veementemente, como sempre fez face a qualquer manifestação de intolerância”, disse Valladolid.

“O clube é embaixador destes valores e rejeita qualquer opinião sobre possíveis conotações xenófobas dos nossos torcedores, bem como generalizações negativas sobre a cidade. Os incidentes isolados ocorridos não podem de forma alguma obscurecer a coexistência exemplar. É claro que o Real Valladolid condena veementemente, como já demonstrou em inúmeras ocasiões, qualquer sinal de racismo ou discriminação”, acrescentou o clube.

Possível venda de Valladolid

Sobre a possibilidade de venda do clube, Pezzolano afirmou que Ronaldo deverá negociar parte das ações. “O mais seguro é ele vender o Valladolid, mas, inicialmente, a equipe continuaria com toda a gestão esportiva atual. Ele quer vender uma peça e tudo continuaria igual, não haveria trocas internas”.

A declaração do Valladolid diz que não cabe ao treinador fazer qualquer declaração a respeito.

“Em nenhum caso cabe ao técnico avaliar, comentar, julgar ou informar sobre operações que vierem a ser realizadas no patrimônio da entidade. O presidente da nossa entidade já explicou durante as comemorações de promoção à categoria mais alta do futebol nacional que tem ofertas em cima da mesa e que avaliará a sua decisão nestes dias, sempre com a prioridade de seguir o melhor caminho para o Real Valladolid e seus fãs.”

Renúncia?

O treinador ironizou os pedidos de demissão durante a festa de comemoração do acesso do time à elite do Campeonato Espanhol.

“Fogo, Pezzolano! Fogo, Pezzolano!”, cantou o uruguaio na varanda do prédio da praça principal da cidade de Valladolid.

O refrão foi cantado por alguns músicos que estavam ao seu lado e por parte do público presente.

O perfil oficial do Real Valladolid postou o vídeo no Twitter e escreveu ironicamente: “Só é permitido responder a este tweet com: #DemitamPezzolano”. Cerca de uma hora após a publicação, ela foi excluída das redes sociais.

Nota oficial do clube

Seguindo as declarações de Paulo Pezzolano, técnico da Primeira Seleção, transmitidas ontem por uma rádio do Uruguai, o Real Valladolid considera:

Em nenhum caso o técnico é responsável por avaliar, comentar, julgar ou reportar as operações que possam ser realizadas sobre o património da entidade. O presidente da nossa entidade já explicou durante as comemorações de promoção à categoria mais alta do futebol nacional que tem ofertas em cima da mesa e que avaliará a sua decisão nestes dias, sempre com a prioridade de seguir o melhor caminho para o Real Valladolid e seus fãs.

Na referida entrevista, o treinador fez referência a episódios isolados de xenofobia que tem sofrido na cidade, ataques que o Real Valladolid condena veementemente, como sempre fez face a qualquer manifestação de intolerância.

O Clube é embaixador destes valores e rejeita qualquer opinião relativamente a possíveis conotações xenófobas dos nossos adeptos, bem como generalizações negativas sobre a cidade. Os incidentes isolados ocorridos não podem de forma alguma obscurecer a coexistência exemplar. É claro que o Real Valladolid condena veementemente, como já demonstrou em inúmeras ocasiões, qualquer sinal de racismo ou discriminação.

A cidade de Valladolid é acolhedora e respeitosa, uma cidade “maravilhosa”, como garante o próprio treinador. Um ponto de encontro com cidadãos de carácter hospitaleiro e inclusivo, como fazem os adeptos do Real Valladolid, demonstrando-o ao longo de 96 anos de história com o seu carinho pelos jogadores, treinadores e trabalhadores independentemente do seu país de origem.

A notícia Pezzolano comenta o futuro de Ronaldo na Espanha; Valladolid proíbe treinador foi publicado pela primeira vez em No Attack by No Attack.



globo.com rio de janeiro

o globo noticia

globo com rio de janeiro

globo.com g1

jornal globo

jornais globo

傳播小姐. Link. Link.