Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você está ciente dessa funcionalidade. Conheça nosso Portal da Privacidade e consulte nossa Política de Privacidade. Clique aqui para ver

Tufão Khanun: chuva mais forte em 140 anos encharca Pequim enquanto tempestade atinge Okinawa no Japão



CNN

As graves inundações em Pequim foram causadas pelas chuvas mais intensas em 140 anos, segundo meteorologistas locais, e há pouca trégua para a região, já que o tufão Khanun atinge o Japão com vento e chuva.

Entre sábado e quarta-feira de manhã, 744,8 milímetros (29 polegadas) de chuva caíram na capital chinesa dos remanescentes do tufão Doksuri, de acordo com o Serviço Meteorológico de Pequim – a chuva mais forte em dias consecutivos desde que os registros começaram em 1883.

Enquanto isso, o tufão Khanun estava acumulando ventos de 220 quilômetros por hora (137 mph) – o equivalente a um furacão de categoria 4 no Atlântico – ao passar mais perto das ilhas de Okinawa, no sudoeste do Japão, na quarta-feira.

Nas últimas 24 horas, muitos lugares em Okinawa receberam 175 a 220 milímetros (6 a 8 polegadas) de chuva, de acordo com a CNN Weather quarta-feira de manhã.

Mais de 600.000 residentes receberam ordens do governo da província para evacuar suas casas, e fortes ventos derrubaram linhas de energia, deixando mais de 200.000 residências sem energia na manhã de quarta-feira, de acordo com a Okinawa Electric Power Company.

Espera-se que o centro de Khanun pare no Mar da China Oriental nas próximas 48 horas, possivelmente se voltando para as ilhas Ryukyu do norte do Japão no fim de semana e evitando um impacto direto na costa leste da China, que foi encharcada pelos remanescentes de Doksuri. .

À medida que o lento Khanun continua a enfraquecer, suas faixas externas podem trazer fortes chuvas e fortes rajadas de vento sobre a província de Zhejiang, no leste da China, e ao longo da costa perto de Xangai nos próximos dias.

O impacto de Khanun ocorre logo após Doksuri, que inundou a periferia oeste de Pequim com enchentes que varreram carros e destruíram uma ponte.

O número de mortos em Pequim subiu para 12, informou a mídia estatal chinesa Beijing Daily na quarta-feira, e outras 12 pessoas continuam desaparecidas. Mais de 127.000 pessoas foram evacuadas da cidade, informou a emissora estatal CCTV.

Nove mortes também foram relatadas na província de Hebei, que circunda a capital, informou a CCTV. As chuvas em Hebei quebraram recordes em 10 estações meteorológicas, de acordo com a agência de notícias estatal Xinhua.

Na terça-feira, mais de 300 pessoas ficaram presas em um prédio residencial na cidade de Zhuozhou, em Hebei, disse o jornal estatal The Paper.

O vídeo mostrou as águas da enchente penetrando no porão do prédio, e uma mulher citada no relatório disse que os moradores “não tinham água potável, eletricidade ou gás”.

Mais de 133.900 pessoas na cidade de Zhuozhou foram afetadas pelas chuvas, segundo a CCTV.

Espera-se que as chuvas em Pequim e Hebei diminuam na quarta-feira, enquanto várias regiões do nordeste, incluindo Jilin, Heilongjiang e Mongólia Interior, foram alertadas sobre fortes chuvas, informou a Xinhua.

O líder chinês Xi Jinping pediu esforços completos de busca e resgate e disse às autoridades para minimizar as baixas e normalizar as condições de vida o mais rápido possível, informou a Xinhua.