Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você está ciente dessa funcionalidade. Conheça nosso Portal da Privacidade e consulte nossa Política de Privacidade. Clique aqui para ver

Agence France-Presse está levando X de Elon Musk ao tribunal por conteúdo de notícias

A Agence France-Presse, o serviço de notícias francês, disse na quarta-feira que está entrando com uma ação legal contra o X de Elon Musk, alegando que a empresa de mídia social, anteriormente conhecida como Twitter, está se recusando a negociar as condições de pagamento pelo conteúdo de notícias da agência.

Em 2019, a França adotou rapidamente as amplas regras de direitos autorais da União Europeia que obrigam as empresas de mídia social a pagar aos editores por certos tipos de conteúdo. O Google concordou em pagar aos editores franceses pelo conteúdo de notícias após meses de negociações.

“Esses direitos foram estabelecidos para permitir que agências de notícias e editores sejam recompensados ​​por plataformas digitais que retêm a maior parte do valor monetário gerado pela distribuição de conteúdo de notícias”, afirmou a agência em seu comunicado. declaração.

Em twittar na quarta-feira, Musk chamou o processo de “bizarro”.

“Eles querem que paguemos *a eles* pelo tráfego do site deles, onde eles obtêm receita com publicidade e nós não!?” ele escreveu no X, que comprou em outubro.

As propostas regulatórias para forçar as empresas de mídia social a pagar aos editores pelo conteúdo apresentado em suas plataformas foram recebidas com resistência semelhante. Em junho, a Meta disse que impediria os canadenses de compartilhar notícias no Facebook e no Instagram em resposta a uma nova lei canadense que obriga as empresas de mídia social a pagar aos editores domésticos pelo conteúdo.

Em maio, a Meta ameaçou impedir que os usuários da Califórnia compartilhassem notícias em suas plataformas, enquanto os legisladores estaduais avaliavam a legislação exigindo que as empresas de mídia social pagassem aos meios de comunicação por seu conteúdo.

A Austrália aprovou uma lei semelhante em 2021, forçando as empresas a firmar acordos com os meios de comunicação australianos para o conteúdo postado em suas plataformas – um movimento que gerou respostas diferentes da Meta e do Google. As empresas agora estão fechando acordos com agências de notícias australianas para o conteúdo postado em suas plataformas.